Quarta-feira, 30 de Julho de 2008

Eu sou o Bob!

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalmente chegou o tão esperado Boletim municipal para nos pôr a par do que se passa e passou no nosso concelho nos últimos meses, para meu espanto fiquei surpreendido com o discurso do Senhor Presidente da Câmara Municipal de Viana do Alentejo, que, chegou finalmente á conclusão que as pequenas obras são muito úteis á esmagadora maioria dos habitantes do concelho. Fiquei contente quando deixei de ver buracos nas três ruas de Aguiar e mesmo perdendo a tão falada pista de downhill a população passados 4 ou 5 anos aplaudiu, antes tarde que nunca, e bem vistas as coisas com tanta camada de alcatrão podemos dizer que estamos a crescer, mais que não seja em altura. Quanto ao alcatroamento do rossio já comentei o assunto em post anterior, mas aqui em Aguiar o povo sempre se contentou com pouco, ou como dizem, “ é melhor pouco que nada”, eu pessoalmente tenho uma opinião diferente em relação a este assunto como o referi no post “Alcatroeiros”.
 
Fiquei contente por saber que vão finalmente fazer algo no largo da cooperativa, isto é, na parcela de terreno onde está implantado um edifício, uns balneários, um ringue polidesportivo com bancadas, um parque para crianças que precisa de uma revisão e uma zona bem ajardinada e cuidada pelos responsáveis dos seus serviços, mas que não é de ninguém. Agradecia que alguém me explicasse como se podem fazer obras e utilizar dinheiros públicos numa parcela de terreno que embora esteja dentro do perímetro urbano e em zona edificável, não se encontra caracterizada e penso eu não possui um artigo e um legítimo dono. Mas isto se calhar são pormenores que não interessam, fico contente por saber que vai abrir concurso e que vamos ter um largo todo bonito, sugiro um busto do camarada Álvaro Cunhal mesmo no centro, á volta pode ser alcatrão o pessoal já se vai mesmo habituando.
 
E porque não é mal agradecido ao povo que o tem eleito mandato após mandato ainda lhes vai arranjar um lote no além, confesso que não sabia que era um homem tão ligado a crenças budistas que acredita na teoria da reencarnação, com sorte ainda o esperam 40 anos á frente da autarquia e caso não possa por questões legais há sempre um lugar aqui na junta. Uma pequena sugestão, se puder, coloque braços eléctricos no portão do Cemitério com comando á distância.
 
Ouvi dizer que vão também fazer obras na escola primária de Aguiar, deve ter-se esquecido de falar nisso no boletim municipal, não se esqueçam dos sanitários exíguos e sem condições, iluminação, calefacção, sistema de segurança passivo e activo (gradeamento em volta da escola). Sei que farão ainda melhor e a gente agradece.
 
Tanta obra e boa! Com isto se calhar fazem-nos esquecer da deficiente iluminação pública, do resto das ruas por pavimentar, da requalificação da rua principal em termos de segurança e bem-estar e da revisão do PDM.
 
Em Viana o pessoal deve estar ao rubro, é verdade que têm um belo complexo desportivo, excelentes piscinas que irão ser cobertas num futuro breve, um belíssimo parque da Vila que frequento sempre que posso, mas Viana está feia e suja, não o digo com maldade mas sim com tristeza. Vindo eu de onde vier ao chegar a Viana parece sempre que estou a chegar a uma zona degradada quer em termos visuais, quer do próprio pavimento que parece que se degrada com a proximidade. A passagem do trânsito pelo meio da Vila é no mínimo ridícula, ainda mais quando não há espaço para se cruzarem dois pesados. A zona comercial mais central bem como a praça são tristes exemplos do que se pode fazer. Parece uma Vila que já teve melhores dias, e concerteza que os teve. Não há um passeio público em condições numa vila que cresceu sem norte numa confusão de linhas ortogonais que se cruzam sem sentido e sem ordem. Penso que Viana já merece uma requalificação tal como a mereceu o castelo. Os arredores vão pelo mesmo caminho, ou seja, ao sabor da estrada. Não seria importante traçar a nova vila antes de a construir?
 
E finalmente as Alcáçovas, a cereja em cima do bolo, as piscinas municipais, a obra das obras ou devo dizer a torre de Babel que há falta de receita para pagar um empréstimo tão avultado trará no mínimo os votos que faltam, só não se sabe ainda é para quem. Acho no entanto que é uma obra importante (com isto não digo essencial), trará maior qualidade de vida ao povo das Alcáçovas, bem como a visita de populações vizinhas, espero que seja um sucesso pelo menos para quem tiver que pagar a obra.
 
E com isto tudo caríssimos Aguiarenses, “cadê” o pavilhão????

 

publicado por peixebanana às 00:51
link do post | comentar | favorito
25 comentários:
De Psycho_Mind a 30 de Julho de 2008 às 13:40
Pertencem à população, e não poderia haver melhor dono. È de todos e para todos, mas pode-se sempre colocar em tal caderneta de propriedade o nome de todos os habitantes de Aguiar (quando digo habitantes refiro-me a quem de direito que fez pela vila, quer por suor ou por palavras). Não precisamos de nomes para colocar á frente de algo como forma pomposa de dizer 'é meu', apenas queremos pessoas que se empenhem em trazer e fazer o melhor sem qualquer procura de chamariz para outras intenções. Esse espaço tem pois então dono, não se preocupe com isso!

Pois é, onde está o pavilhão, será pois então você quem o trará para cá ou continuará só por aqui a mandar bitatites ou será que passá das palavras às acções junto do presidente que tanto tem criticado ou a propaganda fica-se só mesmo por aqui no 'anonimato' que ainda pensou que tivesse?!?
De Anónimo a 30 de Julho de 2008 às 16:14
nao sei porque mas gosto mesmo do phsyco.
nao se deixa intimidar. assim é que é , dá-lhe, que onde o burro cai é que leva as porradas.
vai em frente que tens muitos amigos contigo.
De peixebanana a 30 de Julho de 2008 às 16:35
Sinceramente pensava que por ser mais jovem, o amigo psyco pudesse de alguma forma ter um interesse mais atento pela sua terra, mas pelo que vejo é mais um pras fileiras do partido, ou então estou enganado e se calhar não vivemos na mesma freguesia.
De anonimo a 30 de Julho de 2008 às 18:57
aaaaahhhhhhhh! afinal o peixe sempre tem alguma coisita contra o partido.
manda os bitaites que isto nao é politica é defender os interesses da terra e tal.pois afinal nao nos enganámos o homem quer mesmo acabar com o pcp, que são os que mais incomodo provocam.
o amigo mas nao se canse, o psd aqui ainda lhe faltam alguns anitos para conseguir aproximar-se das outras duas forças politicas mais relevantes.
eu sei que você tem semeado bastante, mas garanto-lhe que ainda não vai colher nada.
mas reconheço-lhe o mérito.
De peixebanana a 30 de Julho de 2008 às 19:42
caro anónimo, tenho as minhas preferências ideologicas como teremos todos os que têm consiência do voto e da sua propria existência, e a base do meu pensamento ideologico é a liberdade de expressão e do pensamento. Também já simpatizei com um partido por motivos genéticos, mas depois ganhei coragem e passei a pensar por mim. É me mais facil acreditar nas ideias de um homem do que na organização de um partido. E ao contrario do que pensa não faço campanha. Respeito os partidos e os homens, nunca me viu ridicularizar o Sr. Presidente ou outro membro autarquico, mas na qualidade de cidadão exprimo as minha opiniões através deste blog. A si agradeço-lhe a honestidade e a clareza das palavras e respondo-lhe que nada tenho contra o PCP nem contra quem simpatiza com o partido, preocupa-me sim quem por uma questão ideologica omite a sua opinião. O blog um dia perfeito para os peixes banana também conta com a sua opinião é por este motivo que continua a ter um nome genérico e não uma assinatura própria. Obrigado com comentar.

Comentar post

.Sobre um dia perfeito para os peixes banana

 

Um dia perfeito para os peixes banana é um blog sem cor, mas com opinião acerca de algumas questões que são importantes para todos nós. Não pretende fazer oposição a nada nem a ninguém, pretende apenas despertar os sentidos de quem pode fazer mais e melhor. Tem acesso livre e publicação de comentários que embora moderados são normalmente publicados na integra (a moderação serve exclusivamente para que se proteja a integridade pessoal da nossa gente).
Se pretender contactar o blog via email pode fazê-lo para peixebanana@sapo.pt e colocar as suas opiniões, duvidas ou participar no blog. Um dia perfeito para os peixes banana reserva-se no direito de publicar apenas o que acha válido para uma opinião responsável e construtiva.
A causa publica é a principal bandeira e existe para que através de uma opinião (que não passa disso mesmo), se possa debater um tema e assim adquirir conhecimento.
Quem não gosta do formato não veja, quem gosta sinta-se em casa, mas ambos são bem recebidos.
 
Um dia perfeito para os peixes banana

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
14
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.

 

Clarice Lispector

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

.favoritos

. QUARTOS-CHAMBRES-ROOMS

.links

.o tempo

eztools.com

.sobre o peixe banana

.posts recentes

. ...

. retratos

. Movimento Unidos pelo Con...

. twenty three:

. Curtas

. Moderação

. Um docinho...

. Unidos Venceremos

. Apresentação do candidato

. Modern Toss

. Era uma vez...

. more wordboner

. O curso

. Projectos do Sr. Eng. Soc...

. Sim é possivél, urinar em...

. PLANO PARA SALVAR PORTUGA...

. Word Boner

. tumblr

. Para quem ainda tinha duv...

. Viana tem mais encanto na...

Alucinações

 
Um polícia reformado imagina que uma criança inglesa morreu num trágico acidente e que o corpo foi congelado ou conservado no frio pelos pais e amigos.

Um político socialista imaginou que era possível combater a corrupção neste sítio cada vez mais mal frequentado, apresentou um pacote de medidas e ficou muito desiludido quando o seu partido o atirou para o lixo e aprovou um conjunto de diplomas que vai deixar tudo como antes, o quartel-general em Abrantes. O mesmo político imagina, agora, que a corrupção está mais elevada do que nunca e fica triste porque ninguém lhe liga nenhuma.

A líder do maior partido da Oposição imagina que é possível chegar ao poder sem andar por aí em festas folclóricas, em espectáculos medíocres e chega ao ponto de dizer que vai tentar falar verdade sobre os problemas do sítio e que não se pronuncia sobre assuntos que não conhece.

Um ministro deste Governo socialista imagina-se como director comercial de uma multinacional e salta de contente sempre que assina um contrato com uma empresa qualquer. O mesmo governante imagina um dia que a crise económica, financeira e social já passou e no outro imagina que o que aí vem vai ser bem pior.

Um primeiro-ministro que os indígenas elegeram em 2005 com maioria absoluta imagina que vive num sítio maravilhoso, com uma economia pujante, com um nível de vida extraordinário, com cidadãos altamente qualificados e até imagina que Angola tem um governo fabuloso, digno dos maiores elogios, que a Líbia é dirigida por um ser normal, democrático, que até escreveu em tempos um livro que só por acaso não ganhou o Nobel da Literatura e que a Venezuela tem um presidente civilizado, com os alqueires todos no sítio e que merece ser recebido várias vezes em poucos meses com gestos de grande carinho e amizade.

Um Presidente da República imagina que os seus silêncios são mais importantes do que as suas palavras e imagina que quando discursa alguém o ouve verdadeiramente com atenção. Imagina que quando fala na necessidade de se combater a corrupção ou atacar a sério os problemas da Justiça e da Educação alguém o leva verdadeiramente a sério e vai a correr preparar mais uns diplomas para indígena ver.

A alucinação, como se vê, veio para ficar. Está a tornar-se numa pandemia. Em vez de dinheiros da Europa, o sítio precisa urgentemente de uma enorme equipa de psiquiatras que o cure da doença enquanto há tempo e esperança de cura.

António Ribeiro Ferreira
[in Correio da Manhã, 28.07.2008]

.visitantes

Web Counters
Cheap Laptop

.subscrever feeds